Tenho escutado e experimentado quão desafiador é manter rancor, ódio ou sentimentos ruins à alguém para o qual você está orando. Eu tive uma experiência no Líbano, a qual foi oportuna para me dar algumas dicas e experiências para cuidar dos outros assim como Jesus faz.

Em outubro de 2017, eu estava viajando com Gabriel Bejjani, pastor da Igreja Batista do Sétimo Dia de Riverside, no estado da Califórnia - EUA, juntamente com sua amável esposa, Hayatt.

Nós visitamos os Batistas do Sétimo Dia na Polônia e, em seguida, seguimos nossa jornada para incentivar e avaliar o trabalho do Reino que estava acontecendo no Líbano. Visitamos também os parentes de Hayatt e Gabe. Vimos alguns deles na região norte que reuniram-se com os Batistas do Sétimo Dia e outros cristãos em Beirute.

Em determinada ocasião, fomos ver um companheiro de Ministério no extremo sul, perto da fronteira de Israel. Na casa de um ex-muçulmano, vimos Israel e a cidade de Caná, Líbano, do nosso lado da fronteira política atual.

Segundo a tradição de muitos cristãos libaneses este é o local original dos primeiros milagres de Jesus realizados no casamento em Caná. Segundo relatos em João 2:1-11, nesse episódio, Jesus participou da festa de casamento e no terceiro dia transformou água em vinho da melhor qualidade. Nosso amigo nos levou em lugares turísticos, entre eles, nos mostrou uma loja de recordações, uma pequena caverna e entalhes na pedra da colina que são remanescentes do trabalho artístico da época. Calmamente, ele também nos levou em um lugar do outro lado da aldeia, na parte de trás de um pomar onde havia alguns potes d’água quebrados e de pedra antiga, o possível remanescente de um poço, os quais pareciam ser os contornos de paredes arruinadas de uma antiga construção. Isso foi muito interessante, e esse lugar secreto parecia ter mais crédito que o local designado para as peregrinações cristãs. Todavia, esta não foi a parte mais memorável da visita de Caná para mim.

Como nós passamos pela principal estrada estreita da moderna aldeia de Caná, minha imaginação teve um vislumbre muito claro para Caná de dois mil anos atrás. Eu podia “ver” Jesus andando na principal e empoeirada rua repleta de lojas e casas do século. Ele estava indo para a casa de alguns parentes para uma celebração, mas ao longo do caminho Jesus encontrou algumas crianças, Ele sorriu e brincou de cabo de guerra. Havia ali uma pequena criança que parecia conhecê-lo, Ele a levantou e brincou com ela por um momento. O que me impressionou na cena foi saber que Jesus AMOU aquelas crianças e que Jesus intercedeu silenciosamente a favor delas ao Pai sobre suas vidas atuais e futuras.

Eu não sei exatamente se esta é a localização real, nem mesmo sei se realmente houve uma cena de Jesus brincando com crianças enquanto Ele ia para uma festa de casamento. Tenho certeza que isso não é o mais importante. Mas, o que realmente importa é o fato disso me impressionar profundamente a cada vez que eu penso em Jesus, desse modo, passo a lembrar de orar por aqueles que estão ao meu redor e a pensar neles com o mesmo amor que Jesus tem para eles. Eu acho que isso é bom e edificante para mim ... e talvez possa se edificante para você também.


Traduzido por João Henrique Barreto da IBSD de Brasília.

Artigos Relacionados

Quarta opressão, domingo
  Mas aquele que tem dúvidas, se come está condenado, porque não come por fé; e tudo o que não é de f&...
Uma História sobre o Cristianismo Celta Uma História sobre o Cristianismo Celta
O legado espiritual de Maewyn Succat é irônico e inspirador. Nascido em uma família cristã fiel por volta de 385 d.C., na Escócia, quando jovem, ele...
Terceira opressão, segunda-feira
  Mas, o que sai da boca, procede do coração, e isso contamina o homem. .   Mas, o que sai da boca, procede do coraç&...
Primeira opressão, sábado
  Apega-te, pois, a ele, e tem paz, e assim te sobrevirá o bem. .   Apega-te, pois, a ele, e tem paz, e assim te sobrevirá o...