Todos os dias, continuavam a reunir-se no pátio do templo. Partiam o pão em suas casas, e juntos participavam das refeições, com alegria e sinceridade de coração, louvando a Deus e tendo a simpatia de todo o povo. E o Senhor lhes acrescentava todos os dias os que iam sendo salvos.

Atos dos Apóstolos 2:46-47

Perseverar é persistir, não desistir diante das dificuldades e obstáculos em nosso caminho. A igreja primitiva perseverava unânime todos os dias no templo. Mesmo em meio às dificuldades (pessoais e da própria comunidade), os irmãos estavam juntos no templo. O que importava para eles era adorar a Deus, louvar, estar em comunhão com Deus e com os irmãos. Isso era o essencial. As demais coisas (como o trabalho, por exemplo) estavam em segundo plano. Eles entenderam a essência da vida aqui na terra, viver o Reino de Deus. O significado de unânime é: que está em conformidade com todos (em sentimento, opinião, etc), que exprime acordo ou concordância geral. Então, a igreja, além de perseverar, perseverava unânime, ou seja, em concordância. O desejo, a vontade pessoal não se sobressaía, mas sim o que era melhor para o grupo, para a igreja.

Gostaria de lhe convidar a refletir, tendo como espelho o exemplo da igreja primitiva que acabamos de ver, como está a sua perseverança e unanimidade em sua igreja local? Você tem persistido, tem continuado a congregar, mesmo em meio as suas lutas, dificuldades pessoais e as dificuldades da igreja? Ou você tem olhado para os defeitos das pessoas, as carências da igreja e tem desanimado, tem desistido? Enquanto estivermos nesse mundo enfrentaremos aflições, que não podem nos fazer desanimar de adorar juntos em comunidade. A igreja é composta de pessoas imperfeitas, como eu e você, e por isso sempre haverá dificuldades a serem superadas e carências a serem supridas. Que tomemos a atitude de ser parte da diferença que desejo ver em minha comunidade. Quanto a unanimidade, você tem buscado o que é melhor para a igreja ou é sua vontade que precisa sempre prevalecer? Às vezes nossa vontade, ao realizar algo juntos como igreja, se encaixará com o desejo dos demais. Mas às vezes não. Viver em comunidade é viver com pessoas de diferentes opiniões e visões. Terá momentos que teremos que abrir mão de fazer as coisas do nosso jeito para que um trabalho na igreja possa acontecer. Precisamos sempre pedir a Deus sabedoria e humildade, para que tudo seja feito da forma como Deus quer que seja feito, e não conforme EU quero que seja, do MEU jeito.

O texto diz também que eles não só se reuniam no templo, mas se reuniam em suas casas também. Quando eles estavam reunidos nas casas, ali era uma oportunidade para eles conversarem, se conhecerem, desabafarem, compartilharem angústias. Além de partilhar o pão, compartilhavam vida. O tempo que passamos com nossos irmãos na igreja é muito curto para desenvolver um relacionamento profundo, um relacionamento que permitirá que compartilhemos alegrias e angústias com nossos irmãos. É preciso passarmos mais tempo juntos. E o fator “tempo” tem sido um grande dilema de nossa época. Gostaríamos que o dia tivesse 30, 40 horas, ou até mais, para fazermos tudo que gostaríamos de fazer. Se bem que mesmo que o dia tivesse mais horas, nos ocuparíamos com mais coisas e o tempo nunca seria o suficiente. Sendo assim, precisamos avaliar como temos administrado nosso tempo. Temos administrado com sabedoria? Temos usado nosso tempo para investir em vidas? Veja o exemplo de nosso mestre Jesus enquanto Ele esteve aqui nessa terra. Ele investiu em vidas. Ele esteve tanto tempo com os discípulos os ensinando. Ele esteve com a mulher samaritana, com a mulher adúltera, com Zaqueu, com as pessoas nos templos, ensinando as Escrituras. Com toda a paciência e amor Ele estava lá com as pessoas. Ele sabia que elas precisavam ser cuidadas, ensinadas, transformadas pelo poder de Deus. Esse investimento em vidas, precisa acontecer não só entre irmãos, entre os membros da igreja, mas também fora da igreja. Precisamos investir em vidas em todo lugar que estivermos, em nosso local de trabalho, estudo, com nossos familiares, nossos vizinhos.

Você sabe qual a forma mais impactante de resplandecer Cristo em nossa sociedade? Amando as pessoas, se importando com elas, dedicando tempo para estar com elas, para ouvi-las. As pessoas estão tão concentradas em si mesmas, nas suas atividades, nos seus compromissos, no seu lazer, que não olham para o lado, não percebem o que está acontecendo com as pessoas a seu redor. Se você toma essa atitude de olhar para o lado, de se aproximar, de se importar, você acende um holofote no mundo de trevas que vivemos, demonstrando o amor de Cristo em um mundo quase sem amor. A partir do momento que você se aproxima das pessoas, vão surgir oportunidades de você compartilhar seu testemunho de vida que tem com Cristo, a mensagem do Evangelho através da Palavra. Em Romanos 10:14 diz: “Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem não ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue?”. Se nos importamos com as pessoas, se as amamos, inevitavelmente, compartilharemos a mensagem da salvação com elas. Pois sabemos que só Cristo é a salvação de toda e qualquer pessoa, e só conhecendo e praticando a Palavra, essas pessoas terão uma nova vida, uma vida com Cristo.

Voltando ao nosso texto base, lemos que a igreja primitiva louvava a Deus e caía na graça de todo o povo. Na versão (NVI) Nova Versão Internacional, temos a tradução “louvando a Deus e tendo a simpatia de todo o povo”. O povo tinha simpatia pelos membros da igreja, eles eram bem-vistos pela sociedade. Acredito que isso acontecia porque a igreja primitiva tinha a atitude de se aproximar, de abençoar as pessoas que não faziam parte da mesma. O povo via o amor em ação através dos membros da igreja. Eles viam como a igreja se amava, como ela louvava a Deus, como seu modo de viver era diferente. Isso impactava na vida deles. E o resultado? “Todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar”.

Que Deus nos ajude a resplandecermos, a brilharmos o amor de Cristo dentro e fora de nossa igreja. Sabemos que para nos relacionarmos é preciso muitas vezes abrir mão da nossa razão em favor do outro. É preciso pedir perdão e perdoar. Se focarmos apenas nos defeitos das pessoas, não conseguiremos nos relacionar com ninguém. Que Deus nos ajude a focar na qualidade das pessoas. Que possamos orar uns pelos outros para que amadureçamos cada vez mais, que sejamos moldados por Deus, para sermos cada vez mais parecidos com Cristo.

Perguntas para reflexão:

  1. Tenho vivido a realidade da minha igreja, ansiando, orando e agindo para viver a realidade da igreja primitiva, descrita no livro de Atos, capítulo 2?
  2. Tenho investido meu tempo em vidas, dentro e fora da igreja?
  3. Tenho encarado cada dia como uma oportunidade de testemunhar de Cristo aqueles que ainda não O conhecem?
  4. Os não cristãos têm tido simpatia por mim, assim como o povo tinha simpatia pela igreja primitiva?

Artigos Relacionados

Lições das Catacumbas de Roma Lições das Catacumbas de Roma
O termo “catacumba” deriva de um termo grego composto das palavras  kata (abaixo) e kymbe (oco). A palavra é usada para aquela vasta rede de túmulos...
O Senhor ergue juízes, quarta-feira
  Para onde me irei do teu espírito, ou para onde fugirei da tua face? ?   Para onde me irei do teu espírito, ou para onde...
Declaração de Fé: O Batismo Declaração de Fé: O Batismo
NOSSA DECLARAÇÃO: “Cremos que o batismo de crentes, em obediência à ordem de Cristo, é um testemunho à aceitação de Jesus como Salvador e Senhor...
Na Vitrine Na Vitrine
Meu nome é Ivina Katherine Vieira Rocha, tenho 31 anos, sou casada com o Pr. Claudir de Oliveira há 13 anos com quem tenho duas filhas, a Heloisa, que...