Quando toda a nação terminou de atravessar o Jordão, o Senhor disse a Josué: "Escolha doze homens dentre o povo, um de cada tribo, e mande que apanhem doze pedras do meio do Jordão, do lugar onde os sacerdotes ficaram parados. Levem-nas com vocês para o local onde forem passar a noite". Josué convocou os doze homens que escolhera dentre os israelitas, um de cada tribo, e lhes disse: "Passem adiante da arca do Senhor, o seu Deus, até o meio do Jordão. Ponha cada um de vocês uma pedra nos ombros, conforme o número das tribos dos israelitas. Elas servirão de sinal para vocês. No futuro, quando os seus filhos lhes perguntarem: ‘Que significam essas pedras? ’,

Josué 4:1-6

E em Gilgal Josué ergueu as doze pedras tiradas do Jordão.

Josué 4:20

Ele assim fez para que todos os povos da terra saibam que a mão do Senhor é poderosa e para que vocês sempre temam o Senhor, o seu Deus".

Leia também alguns artigos relacionados:

A lei, a carne e o espírito
Comentário da lição
Que diremos pois?Texto de EstudoQue diremos pois? É a lei pecado? De modo nenhum. Mas eu n&...
Graça maravilhosa
Comentário da lição
Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida...

Josué 4:24

Há um velho ditado que vale a pena repetir aqui: “O hoje é o ontem de amanhã”. Talvez seja. Josué conduziu o povo de Deus, os israelitas, a cruzar o rio Jordão em direção à terra prometida. Depois da travessia, Deus disse a Josué que escolhesse doze homens entre o povo, um de cada tribo, e que apanhassem doze pedras do meio do rio Jordão, bem onde o sacerdote estava. Então, por ordem de Josué, cada um deles carregou uma pedra no ombro e a colocou no lugar onde passaram aquela noite. A pedra serviu como um objeto memorial tangível de seu encontro com a intervenção sobrenatural de Deus sobre eles ao cruzarem o rio Jordão. Isso nos mostra que quando encontramos dificuldades ao percorrer as estradas da vida, dificuldades que mal podemos suportar, podemos ter certeza de que a mão poderosa de Deus está lá por nós para nos ajudar em todo o processo.

As pedras servem como um memorial para as gerações futuras saberem como Deus está dirigindo fielmente Seu povo por Sua mão poderosa. Deus é um Deus do passado, presente, futuro e para sempre. Ele nunca muda. Deus, em Sua fidelidade, está continuando Seu ato poderoso em preservar, dirigir, intervir e manter ou sustentar a vida na Terra. Portanto, seja o que for que esteja diante de nós, podemos confiar na fidelidade de Deus e estarmos seguros em Sua mão poderosa. O efeito de nosso encontro pessoal com Deus serve como nossa memória para o amanhã, para que a próxima geração possa ver e desenvolver sua própria fé e confiança em nosso Deus. Se durante a época de Josué eles tinham pedras como objetos tangíveis que a geração futura poderia ver e tocar, nós, chamados de cristãos, que vivemos neste tempo presente, temos também a cruz de Jesus como objeto tangível para mostrar à próxima geração sobre o nosso encontro pessoal com o Senhor Jesus. Nossa salvação foi completada na cruz e nós a recebemos tendo fé n’Ele, que morreu naquela cruz.

A evidência essencial de que encontramos o Senhor é nossa vida transformada, e nós temos a preciosa memória daquele momento. E a cruz de Jesus serve como um grande lembrete.

A Deus seja a glória.

REFLEXÕES:

  1. Você se lembra de um evento espiritual em sua vida que você poderia considerar uma memória preciosa?
  2. A cruz traz algum lembrete significativo para você?
  3. Você acredita que a cruz é um objeto tangível que nos lembra de nossa fé em Jesus?

Oremos pelos Batistas do Sétimo Dia na Indonésia, Costa do Marfi m, Jamaica*, Quênia*, Líbano e Libéria.

*Conferências que são membros da Federação Mundial Batista do Sétimo Dia.

Leia também alguns artigos relacionados:

As bênçãos da justificação
Comentário da lição
Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda...
Não há um justo sequer
Comentário da lição
Pois quê?Texto de EstudoPois quê? Somos nós mais excelentes? De maneira nenhuma,...