Imprimir
Lições Bíblicas
Acessos: 1051
Ano 2015
Autor
Número de Páginas 206
Disponibilidade PDF Somente
Tipo de Livro E-Book (PDF)
Formato 15x23cm
ISBN 978-85-98889-09-2

O Sermão da Montanha é considerado o maior discurso de todos os tempos, pois, afinal de contas, foi proferido pelo maior pregador de todos os tempos! Ele é, provavelmente, a parte mais conhecida dos ensinamentos de Jesus, mesmo que poucas pessoas o entendam e menos ainda o obedeçam. Assemelha-se a um manifesto, por ser a descrição pessoal do que Jesus desejava que seus seguidores fossem e realizassem. No Evangelho de Mateus, o Sermão encontra-se no início do ministério público de Jesus

Logo após seu batismo, e de ter enfrentado as tentações no deserto, nosso Senhor começou a anunciar as boas novas da iminência do Reino de Deus, prometido inúmeras vezes no Antigo Testamento. Ele mesmo surgiu para inaugurá-lo. Com ele, iniciou-se um novo tempo, e o governo de Deus irrompeu na história: “Arrependam-se”, disse Jesus, “pois o Reino dos céus está próximo” (Mateus 4:17). Com efeito, “Jesus foi por toda a Galileia, ensinando nas sinagogas deles, pregando as boas novas do Reino” (Mateus 4:23).

O Sermão da Montanha, portanto, deve ser considerado nesse contexto. Ele apresenta o arrependimento (metanoia, termo grego que significa a mudança completa de mentalidade) e a justiça pertencentes ao Reino. Ou seja, descreve como deve ser a vida dos seres humanos sob o gracioso governo de Deus. E com o que ele se parece? Com algo bastante diferente! Jesus afirmou que seus verdadeiros seguidores, os súditos do Reino de Deus, devem ser totalmente diferentes dos demais. Eles deveriam imitá-lo, ao invés de seguir os exemplos das demais pessoas, e, desse modo, provar sua identidade de filhos genuí- nos de seu Pai celestial. Sendo assim, o texto-chave do Sermão da Montanha é Mateus 6:8 que diz: “Não sejam iguais a eles” (NVI). Ele remete, de imediato, às palavras de Deus a Israel: “Não sigam as suas práticas” (Levíticos 18:3). Trata-se do mesmo chamado para ser um povo diferente. É o tema é elaborado ao longo de todo o Sermão da Montanha 1.

O caráter dos seguidores de Cristo, como mostrado nas bem-aventuranças, deveria distingui-los das pessoas admiradas pelo mundo. Seus discípulos deveriam brilhar como luzes prevalecentes na escuridão. Sua justiça deveria exceder, em muito, a dos escribas e fariseus, tanto em relação ao comportamento ético quanto à devoção religiosa, seu amor deveria ser maior e seus desejos mais nobres que os dos vizinhos pagãos.

Não há um único parágrafo naquele sermão que não contraste os padrões cristãos e não cristãos. Essa é a ideia que abarca e une o tema do sermão; todo o resto é apenas uma variante. Em alguns momentos, os gentios ou as nações gentílicas são contrastados com seus seguidores; em outros, ele os contrasta com os judeus. Em todos os momentos, Jesus ensina seus seguidores a serem diferentes – tanto da igreja nominal quanto do mundo secular, diferentes dos religiosos e dos incrédulos.

Ao final, os ouvintes originais do Sermão da Montanha ficaram perplexos e extasiados com os ensinamentos de Jesus (Mateus 7:28-29). Nossa oração é para que você, caro estudante da Palavra de Deus, também sinta as mesmas emoções, sendo desafiado pelo maior sermão já proferido em todos os tempos.

Bom estudo!

Pr. Jonas Sommer e equipe.

Direitos reservados por:
Conferência Batista do Sétimo Dia Brasileira