A maioria dos solteiros querem namorar. Querem ter alguém para oferecer e receber cuidados amorosos diferente do amor dedicado à família e amigos. Porém, de acordo com os princípios cristãos, como iniciar, conduzir e manter um relacionamento no namoro cristão?

Parece que nem todas as informações, palestras, aconselhamentos e recomendações são suficientes para sanar as dúvidas, precaver os aborrecimentos e constrangimentos que parecem fazer-nos questão de sofrer. É hora de mudar, é hora de ter um namoro cristão.

  Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus.    

1 Coríntios 10:31

Se você quer encontrar uma pessoa temente a Deus para namorar, seja também uma pessoa temente a Deus. Vale a pena! “No temor do Senhor há firme confiança…” e “é uma fonte de vida para preservar dos laços da morte.” (Provérbios 14:26a,27). Quando confiamos  nossos sentimentos ao Senhor certamente Ele nos livrará de pessoas e relacionamentos que não acrescentam nem somam para o nosso bem, e quem sabe serão canal de maldição na nossa vida.

Todo cristão precisa estar consciente que o namoro só deve ser iniciado se houver propósitos positivos. E o principal propósito de um namoro cristão é o casamento. Se você começou uma relação sem o desejo de preparar esse namoro para um casamento, e apenas por entretenimento, há grandes chances de fracasso se não mudar de ideia rapidamente.

Lembre-se que o processo para um relacionamento que dure “até que a morte nos separe” (e o do “divórcio” também), tem seu início desde o namoro. O casal determina já no namoro como será a relação no casamento, e isso sentenciará o resultado final. Então devemos ser mais racionais do que emocionais em nossas decisões em fazer ou aceitar um pedido de namoro.

Faça as seguintes perguntas, que são essenciais, a si mesmo:

  • Estou realmente nutrindo um sentimento por essa pessoa, ou apenas não quero mais ficar só? (Romanos 12:9).
  • Consigo enxergar nela, primariamente, princípios e valores? (Salmos 119:9)
  • Essa pessoa compactua das minhas crenças? (Amós 3:3; 2 Coríntios 6:14).
  • Estou disposto a sofrer transformações, em prol dessa relação? (1 Coríntios 13:4-7).
  • Como essa pessoa trata os pais, a família e os amigos? (Êxodo 20:12; Colossenses 3:12).
  • Ela tem um projeto de vida (formação escolar/profissional, interesses, ideais, pretensões...) definido? (2 Tessalonicenses 3:6).

Diante dessas indagações, podemos refletir e pedir a orientação do Senhor para que não venhamos a nos frustrar nem magoar a pessoa envolvida e, principalmente, ter um namoro saudável baseado na palavra de Deus para que, desse modo, possamos ter futuramente um casamento abençoado. Não podemos escolher por quem iremos nos apaixonar, mas podemos fazer a escolha se iremos trazer, ou não, essa pessoa para nossa vida.

O Senhor se importa com a nossa vida sentimental, como Pai amoroso que é, portanto, devemos sempre entregar nossos sentimentos ao Senhor. Também é interessante partilhar nossas dificuldades com alguém, em quem confiamos para que nos ajude com sábios conselhos e oração.

  Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês", diz o Senhor, "planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro.    

Jeremias 29:11

Quando o namoro é cristão não há motivo para preocupação. É bem verdade que ás vezes ingressamos em um relacionamento nos padrões de santidade, segundo a Bíblia, mas, de repente, não nos vemos mais dispostos a manter esse padrão de santidade, nem os limites que determinamos no nosso namoro, e esse relacionamento, que tinha tudo para dar certo vai por água abaixo e ficamos a questionar se Deus estava mesmo aprovando o namoro. Deus até aprovava, mas por termos escolhido viver essa relação em pecado, Ele se afasta e perdemos os propósitos d’Ele para nós. Não vamos correr esse risco, pois tudo o que o Pai quer é ver seus filhos debaixo da Sua benção.

É importante lembrar que esse vínculo afetivo entre o casal pode se romper, mas se o casal de namorados mantiveram um relacionamento respeitoso, esse término ocorrerá sem grandes consequências. Por isso é prudente que os enamorados estabeleçam uma rotina equilibrada e com algumas regras sobre como irão se relacionar. Por exemplo:

  • Não se encontrar todos os dias, e nem sempre a sós (1 Coríntios 10:23-24).
  • Frequentar ocasionalmente a casa um do outro, e não se comportar como se estivesse em sua própria casa (Provérbios 25:17).
  • Portar-se de modo íntegro no vestir, falar e na maneira de trocar carinhos (1 Tessalonicenses 5:22-23).
  • Manter-se virgens e puros. Pois ser virgem é fácil, complicado é se preservar puro no contato físico e nas conversas que estimulam o desejo sexual. Então sejam sobretudo puros, ainda que não sejam mais virgens, sim é possível ser puro quando não é mais virgem, pois, se cedeu as práticas sexuais antes do casamento  mas se arrependeu, e agora é nova criatura, tudo se faz novo em você. Incluindo, desse modo, um relacionamento firmado nos princípios cristãos. (Filipenses 2:15).
  • Impor os limites físicos. Não vamos no iludir achando que podemos satisfazer nossos desejos carnais, mas estará tudo bem se chegarmos virgens ao altar (1 Tessalonicenses 4:3).

Nossos hormônios não são convertidos, então não é bom brincar com eles (Provérbios 6:27), e Paulo avisa para fugirmos da impureza sexual (1 Coríntios 6:18). Lembremo-nos que o nosso corpo é a morada do Espírito Santo. Assim você se privará de culpas e evitará entristecer o coração do nosso Deus. Quando conduzimos o namoro com submissão ao Senhor não teremos queixa de um coração partido, assim como não sentiremos a falta do Espírito Santo.

  Consagre ao Senhor tudo o que você faz, e os seus planos serão bem-sucedidos.    

Provérbios 16:3

Para que o namoro seja mantido dentro dos critérios de santidade devemos consagrar a Deus nossos sentimentos, ser prudentes nas ações, no modo como nos comportamos com o outro, orando sempre para não cair em tentação e resistindo as paixões da carne. Fugir! Fugir, meus queridos, porque há momentos que ao invés de correr para longe dos desejos proibidos, queremos mesmo é correr pra perto deles. Freio! Esperar o tempo certo. Porque se ceder agora, o tempo de tristeza e arrependimento será bem maior que o tempo de prazer. Porém, no tempo oportuno será só benção e alegria.

Eu sei! Não é fácil! Mas também não é impossível se temos a convicção do nosso Alvo.

Paciência e perseverança! Deus honrará o amor e a fidelidade do casal para com Ele e para com os outros.

Que o Senhor Jesus seja o centro dos nossos relacionamentos, só assim teremos um namoro santo, um casamento sólido e uma família feliz.

Deus abençoe!

Artigos Relacionados

Namoro Cristão: “Ficar” - uma atitude não cristã! Namoro Cristão: “Ficar” - uma atitude não cristã!
Não é de agora que os jovens usam o termo "ficar”. A expressão surgiu na década de 80, entre os adolescentes de 13 a 17 anos, que buscavam...
O Namoro cristão - parte I O Namoro cristão - parte I
Na Bíblia não encontramos absolutamente nada sobre namoro, até porque, os costumes das nações antigas tratavam a relação entre homens e mulheres de...
O Jovem / Adolescente e a Solidão O Jovem / Adolescente e a Solidão
Em um mundo tão povoado, onde em muitas cidades as pessoas vivem quase amontoadas, há milhares de seres humanos em completa solidão. Cristiane é uma...
Dia dos Namorados – Até quando esperar em Deus vale a pena? Dia dos Namorados – Até quando esperar em Deus vale a pena?
Esforçai-vos, e ele fortalecerá o vosso coração, vós todos que esperais no SENHOR Salmo 31:24 Confesso que não é fácil escrever sobre esse tema...