Igreja no Mundo

Igrejas no Burundi sem telhado

A Conferência BSD do Burundi solicitou a seus irmãos e irmãs internacionais que façam parcerias com eles para reparar e expandir outros locais de reunião. Eles concluíram as paredes e pediram nossa ajuda na compra de coberturas metálicas para seu novo prédio na vila de Ruhagarika. Como em Ruanda, várias de suas casas de reunião estão sob risco de fechamento ou destruição devido aos padrões do governo, por isso estamos trabalhando com eles para obter o máximo que pudermos em condições aceitáveis ​​para alcançar essas comunidades.

Diferenças Culturais e Adoração Batista do Sétimo Dia

Você pode experimentar uma grande variedade de estilos de adoração devido às preferências regionais ou à importação de cultura de outros países, se visitar algumas das diferentes congregações Batistas do Sétimo Dia nos EUA e no Canadá. Sendo um ocidental, eu era um pouco ingênuo quanto à variedade de culturas também a serem descobertas no continente africano. Muitas pessoas, até mesmo alguns africanos, presumem que a maioria desse continente tem práticas e preferências culturais semelhantes. Logo descobri que também pode haver uma grande variação, dependendo da herança regional e de como ela foi influenciada pela colonização européia ou pela imigração de outras nações.

No entanto, geralmente quando estou visitando grupos que estão em uma região geral e compartilham algumas heranças históricas e conexões linguísticas, eles tendem a ter mais semelhanças em suas práticas e estilos de adoração. É por isso que achei as variações particularmente interessantes na minha visita de junho à África neste ano.

Eu estava deixando o último dos nossos conhecidos países de língua francesa na África para visitar com Bill Shobe, pastor da Igreja BSD de Dodge Center em Minnesota. Muitos anos atrás, Bill estudou francês e passou algum tempo em Paris, onde ele experimentou um encontro transformador de vida com Cristo, que alterou seu destino. Bill milagrosamente reteve sua capacidade de falar francês sem prática regular e estava animado com a oportunidade de colocar esse talento em uso, acompanhando-me a Ruanda, Costa do Marfim e República Democrática do Congo (RDC).

 

Esses países não são muito distantes em relação à Linha do Equador e todos são influenciados pela colonização européia e usam o francês como língua oficial. Tendo estado em Ruanda em uma viagem anterior, eu previa corretamente que nossas congregações logo além da fronteira na RDC eram bastante formais em sua expressão de adoração. Os líderes usam trajes ocidentais e se ajoelham para orar nos cultos e em ambientes domésticos. Eles tendem a ter um culto exuberante, mas ordenado, com um cronograma. E grande parte de sua música é traduzida de hinos tradicionais ocidentais ou europeus, cantados à capela ou acompanhados de instrumentos simples.

Quando fomos visitar Kinshasa, no oeste da RDC, eu esperava experimentar uma cultura paroquial semelhante, mas descobri que eles eram um pouco mais entusiasmados em seus cultos. Eles adotaram grandes chapéus para as mulheres e levantavam a mão durante o tempo da música de louvor. As músicas eram geralmente em idioma local ou refrões modernos traduzidos em francês. O acompanhamento era realizado por assobios de várias mulheres, pandeiros, teclados e até mesmo uma guitarra elétrica.

Depois disso, você esperaria que a parada final em Abidjan, Costa do Marfim, fosse algo como um ou outro ou em algum lugar no meio. Na verdade, para mim, eles estavam em uma categoria separada. Sua adoração centrou-se em adaptar a dança tribal ou tradicional da África Ocidental a números de louvor coreografados, dança congregacional de forma livre e dramatizações de histórias da Bíblia ou esquetes modernos para ilustrar os princípios bíblicos.

Individualmente e juntos, estes foram belos exemplos para mim de seguidores de Cristo que adoravam a Deus de maneira significativa para eles. Se eu filmasse e mostrasse a cada um como os outros estavam adorando, eles provavelmente teriam perguntado: “Esses são africanos?!?” Ao que eu teria dito: “Sim, mas mais importante, esses são cristãos.”

“Louvem-te os povos, ó Deus; louvem-te todos os povos.” Salmos 67:5

Traduzido por Fabricio Luís Lovato a partir de Tribal Dance and SDB Worship.

Onde havia um edifício da igreja Batista do Sétimo Dia, em uma aldeia do distrito de Bududa, onde agora apenas lama e um rio permanecem. Isto ocorreu devido a deslizamentos de terra em outubro de 2018, no leste de Uganda, desencadeado por chuvas torrenciais e o transbordamento de um rio. Muitos edifícios, pontes, estradas, plantações e gado foram destruídos. Pelo menos quatro das cinquenta e uma mortes foram de Batistas do Sétimo Dia e centenas de pessoas foram deslocadas. Dezoito crianças foram resgatadas e levadas para um orfanato operado por BSDs.

Com alegria e gratidão ao nosso Deus, compartilhamos o e-mail do Pr. Robango, da Tanzânia, enviado à nossa irmã Alessandra.
Deus seja louvado pelas bençãos que Deus tem derramado, e pela vida dos nossos irmãos que tem se dedicado na obra do Senhor.

NOTA: Abaixo estão partes de relatórios recebidos recentemente do Pastor Daniel Nsubuga, Secretário Geral da Conferência BSD de Uganda. Suas orações e qualquer outra ajuda são muito apreciadas.

David Johnson, pastor da “Capela do Sábado”, em Flowery Branch, GA, e Garfield Miller da Sociedade Missionária e pastor da Igreja Batista do Sétimo Dia em West Palm Beach, FL, estão se preparando para uma viagem missionária evangelística à Serra Leoa de 30 de outubro a 7 de novembro de 2018. Somos abençoados por ter uma conferência de BSDs em Serra Leoa que são entusiasmados por compartilhar a Boa Nova de Cristo como o maior tesouro que possuem.

Em agosto de 2018, tive a oportunidade de viajar a Cuba para me reunir com os cristãos guardadores do Sábado na cidade de Santa Marta. Manuel Marambio, líder da Convenção BSD do Chile, me encontrou lá para traduzir. Os cubanos tinham inicialmente feito contato com os chilenos através do site BSD chileno. Devido a essa conexão e para ajudar a continuar a promover uma mentalidade global para os chilenos, concordamos que um chileno deveria fazer parceria comigo nessa missão.

No dia 16 de agosto de 2018 os Pastores Claudir Oliveira e Bernardino Vagas Sobrinho, partiram para Moçambique para dar início ao treinamento de Pastores naquele país. Leia  mais sobre esse projeto. Levamos na mala além de roupas 50 bíblias doadas pela IBSD de Tubarão-SC, alguns livros de teologia e revistas para escola bíblica que foram entregues aos Pastores e alunos do curso. Após praticamente 24 horas de viagem chegamos em Nampula no dia 17 por volta de 14h30 e fomos recebidos no aeroporto por uma comitiva de irmãos muito amados e carinhosos.