Ano 2018
Autor
Número de Páginas 180
Disponibilidade Quantidade Limitada
Tipo de Livro Brochura
Formato 14x21xm
Primeiras páginas

O livro de Juízes, apesar de ter sido escrito por volta do século XI a. C., ainda reverbera em nossa sociedade, apresentando um povo rebelde, negligente e incrédulo. Deus muito tem feito pela humanidade, entretanto ela continua desviando-se do caminho proposto por Ele. E quando esse desvio acontece dentro da igreja, no meio do povo de Deus, isso se torna mais decepcionante e perigoso, visto que o Senhor tem se mostrado ao Seu povo de várias formas, seja por milagres, seja por bênçãos, seja por ensinamentos, ou seja, confirma a Sua presença em nós.

Embora o tempo do livro nos esteja distante, os valores e princípios apresentados nele ainda são os mesmos. Deus não mudou, a obediência a Ele deve ser dada com reverência, com amor, e de coração. Não ter um líder de carne e osso que esteja à frente de nossas vidas não nos dá o direito de negligenciar o trabalho que deve ser feito por nós, servos de Deus, não nos dá o direito de fazermos tudo de acordo com a nossa vontade, não nos dá o direito de nos associarmos com coisas ou pessoas que contrariam a visão que Deus tem para nós! Deus ainda é o mesmo e Sua promessa de fidelidade a nós nunca mudará! Neste livro, parece-nos que sem um comando humano não sabemos como proceder integralmente, parece-nos que perdemos o rumo da orientação do Senhor para nossas vidas e nos aliamos e nos firmamos àquilo que nós temos em mãos, àquilo que está mais próximo de nós, seja coisa ou pessoa.

Esquecemos da onipresença de Deus? Da Sua onipotência? Do Seu amor para com Seu povo? Assim como as tribos de Israel se mancomunavam com os povos pagãos que habitavam ainda em Canaã, assim são muitos que hoje se dizem cristãos, ao primeiro sinal de perigo, apegam-se ao dinheiro, a quem tem mais poder ou mais dinheiro, apegam-se a religiões que pregam o “amor” e a “prosperidade”, mas descartam o sacrifício do Senhor Jesus, apegam-se às suas próprias forças e aos seus bens e esquecem que há um Deus que a todos assiste!

Não podemos deixar de refletir profundamente sobre as lições do livro de Juízes. Primeiro, Deus estará sempre presente na vida do cristão, seja na alegria ou nos momentos de turbulência; segundo, Ele é extremamente paciente com os Seus, esperando que percebam quão grande é a Sua benevolência; terceiro, precisamos fazer a vontade de Deus, não nos acomodarmos com situações que não agradam ao Senhor; quarto, arrepender-se e aprender com os erros cometidos, não os praticando mais; e por último, agradecer pelo Seu amor, que independe da nossa fraqueza humana. 

Pr. Jarbas João da Silva

Direitos reservados por:
Conferência Batista do Sétimo Dia Brasileira