Catatumbas de Roma

O termo “catacumba” deriva de um termo grego composto das palavras  kata (abaixo) e kymbe (oco). A palavra é usada para aquela vasta rede de túmulos sob a cidade de Roma (e também em outros lugares), onde antigos cristãos enterravam seus mortos - e até mesmo se reuniam para adoração em tempos de severa perseguição.

Estima-se que esse labirinto de corredores e jazigos funerários, se colocados juntos, se estenderiam por cerca de 960 quilômetros. As estimativas do número de tumbas variam de 1.750.000 a 4.000.000. Eles representam o enterro de romanos do 2º ao 5º século d.C. (Blaiklock, 159).

Há várias lições valiosas das catacumbas.

Lição 1: A Historicidade de Cristo

As catacumbas estão cheias de obras de arte (grafites antigos) que testemunham a profunda fé dos mártires em Jesus Cristo como o Filho de Deus. Inscrições de epitáfio como esta são frequentes: “Victorina, em paz e em Cristo” (Finegan, 389).

Comum entre as inscrições era o sinal do peixe. A palavra grega para peixe, “ichthus”, tornou-se um símbolo acróstico para: “Jesus Cristo, o Filho de Deus, Salvador”.

Certamente os antigos mártires tinham uma noção melhor de Jesus Cristo como um personagem histórico real do que alguns ateus modernos.

Lição 2: A Influência das Escrituras

O fato de que grande parte do trabalho de arte nas catacumbas foi tirada de vários relatos da Bíblia - tanto do Antigo Testamento como do Novo Testamento - revela quão amplamente as Escrituras devem ter circulado nos primeiros séculos da história da igreja.

Há representações de Adão e Eva, o sacrifício de Abraão de Isaque, o milagre de Moisés de tirar água da rocha, Daniel na cova dos leões, Jonas, a visita dos sábios, Jesus como o cordeiro de Deus e o bom pastor etc.

Há outro ponto a ser feito. Muitos dos nomes mencionados nas epístolas de Paulo são encontrados esculpidos nas paredes das catacumbas. Isso não significa, é claro, que eles representem as pessoas reais na correspondência de Paulo. Ele sugere que o registro bíblico é um reflexo preciso da nomenclatura daquela época e, portanto, possui uma aura de autenticidade (cf. Lightfoot, 177).

Lição 3: Os Milagres de Jesus

O Novo Testamento representa Jesus como um operador de milagres. Cerca de trinta e cinco milagres individuais são atribuídos a ele, além de numerosas referências genéricas (por exemplo, João 20:30-31).

Muitos estudiosos modernos, cedendo à influência de céticos como David Hume (1711-1776), negam que Jesus tenha realizado milagres. Claramente, porém, os cristãos primitivos estavam convencidos dos poderes de milagres do Senhor.

Entre as obras de arte das catacumbas, há muitas representações dos milagres de Cristo. Há representações do batismo de Jesus, com o Espírito Santo descendo na forma de uma pomba. Há reproduções da cura do homem paralítico (Marcos 2) e a ressurreição de Lázaro (João 11). Há reflexos do milagre da água para o vinho nas bodas de Caná (João 2), bem como a alimentação da grande multidão com os pães e os peixes (João 6).

Lição 4: O Crescimento da Igreja

Uma consideração do material no livro de Atos mostra quão explosivo foi o crescimento da igreja primitiva, e os santos em Roma não foram uma pequena parte disso. A fé dos cristãos romanos era amplamente conhecida (Romanos 1:8; Romanos 16:19).

Blaiklock diz:

“A interpretação mais conservadora das figuras dos sepulcros das Catacumbas sugeriria, portanto, que ... um quinto do povo de Roma no Império médio fosse cristão, e é possível que a proporção fosse às vezes muito maior.” (161).

Há outro fator a ser considerado também. Os túmulos das catacumbas representam cerca de dez gerações de crentes. Isso sugeriria que os primeiros devotos do cristianismo transmitiram o evangelho aos seus descendentes. É o chamado “evangelismo vertical”.

Lição 5: Apelo do Cristianismo a Todas as Classes

O ateísmo alega que a fé cristã é apenas para os ignorantes e aqueles que são desprovidos da razão. Gibbon acusou que a igreja primitiva consistia quase exclusivamente da “escória da população”.

A evidência da catacumba mostrou, no entanto, que o cristianismo invadiu as fileiras das classes média e alta, e causou impacto mesmo entre os intelectuais. Muitos dos túmulos parecem ter pertencido a famílias da aristocracia (cf. Atos dos Apóstolos 17:4).

Lição 6: Perseguição

O Senhor havia prometido que seus seguidores seriam perseguidos (Mateus 5:10-12). Em 64 d.C., Nero lançou um perigoso reinado de terror contra a igreja, assim como os subsequentes Césares. Os cristãos foram habitar no subterrâneo, entre os túmulos onde os romanos supersticiosos não entrariam para adorar.

Surpreendentemente, porém, os grafites da catacumba não revelam imagens de tristeza ou reclamações; antes, um espírito vibrante de alegria e triunfo é evidenciado em toda parte. Que fé esses santos possuíam!

Lição 7: Apostasia Aparente

O registro das catacumbas não é inteiramente positivo. Assim como Paulo previu que haveria uma apostasia da verdade (2 Tessalonicenses 2:1 ss; 2 Timóteo 4:1 ss), assim o registro dos túmulos revela um desvio da fé primitiva.

Por exemplo, há um testemunho de grafite que incentiva orações por e para aqueles que estão mortos (o que mais tarde se torna plenamente desenvolvido no catolicismo). Embora os cristãos construíssem batistérios nas catacumbas, há um quadro em que o “batismo” está sendo administrado pelo derramamento de água. Mas há também um deus pagão na cena - o que revela uma fé dolorosamente comprometida (Foster, 23).

O Cristianismo primitivo acabou por ser corrompido. Vigilância eterna é o preço da verdade!

Trabalhos citados

Blaiklock, E. M. 1970. The Archaeology of the New Testament. Grand Rapids, MI: Zondervan.

Finegan, Jack. 1946. Light From the Ancient Past. Princeton, NJ: Princeton University.

Foster, R. C. 1971. Studies in the Life of Christ. Grand Rapids, MI: Baker Book House.

Lightfoot, J. B. 1953 Reprint. Paul’s Epistle to the Philippians. Grand Rapids, MI: Zondervan.

Referências das Escrituras

1 Tessalonicenses 2; 1 Tessalonicenses 5; João 20:30-31; Marcos 2; João 11; João 2; João 6; Romanos 1:8; Romanos 16:19; Atos dos Apóstolos 17:4; Mateus 5:10-12; 2 Tessalonicenses 2:1; 2 Timóteo 4:1.

Traduzido a partir de Lessons from the Catacombs of Rome <https://www.christiancourier.com/articles/669-lessons-from-the-catacombs-of-rome>.

Artigos Relacionados

Quarta opressão, terça-feira
  E os filhos de Israel fizeram o que era mau aos olhos do SENHOR, e se esqueceram do SENHOR seu Deus; e serviram aos baalins e a Astarote. . &...
Terceira opressão, terça-feira
  As imagens de escultura de seus deuses queimarás a fogo; a prata e o ouro que estão sobre elas não cobiçará...
Segunda opressão, terça-feira
  NÃO fareis para vós ídolos, nem vos levantareis imagem de escultura, nem estátua, nem poreis pedra figurada na...
Primeira opressão, terça-feira
  Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na...