Na última quinta-feira, dia 21 de março de 2018, uma queda de energia prejudicou as cinco regiões do Brasil. O Norte e o Nordeste foram as áreas mais afetadas. O fato se deu devido a uma falha de um disjuntor na subestação Xingu, no Pará.

O sistema sofreu uma redução de 18 mil megawatts, o equivalente a 22,5% de toda a carga do sistema. Mais de 70 milhões de pessoas foram afetadas. Ainda estão sendo investigadas as causas da falha no disjuntor, mas já foram descartadas a sobrecarga no sistema, fatores climáticos e queimadas. Pelo turno da noite, a energia já havia sido restabelecida na maior parte do território nacional, com exceção do Nordeste.

Apesar da escuridão momentânea que essa queda de energia trouxe, existem outros tipos de trevas que cobrem o nosso país e são ainda mais preocupantes.

Vemos trevas na religião. Muitas pessoas correm atrás de um falso evangelho, antropocêntrico, que prioriza o bem-estar do homem acima da glória de Deus. Em muitas comunidades, o verdadeiro Deus é tratado como um ídolo, que só existe para beneficiar e cumprir as vontades egoístas de seus adoradores. Para piorar o cenário, muitos que se afirmam como cristãos autênticos negligenciam o estudo da Bíblia, a oração e a frequência à igreja local.

Vemos trevas na estrutura familiar. As taxas de divórcio aumentam a cada dia que passa, mesmo entre os membros das igrejas cristãs. Há tentativas para se redefinir o casamento. Os pais não conseguem mais ensinar e disciplinar seus próprios filhos, que se tornam mais insubordinados às regras sociais.

Vemos trevas na esfera política. Não é preciso ligar a televisão por mais do que alguns instantes para ouvirmos sobre promessas políticas não cumpridas, propostas de leis que contrariam nossos princípios, escândalos, corrupção, suborno, desvios de verbas públicas (que acabam prejudicando necessidades básicas da população, como saúde e educação)...

Vemos trevas morais. A sociedade torna-se mais e mais permissiva. Os propósitos de Deus são vistos como sufocantes, antiquados, retrógrados... Agora, dizem as pessoas, estamos vivendo em outros tempos, e não deveríamos nos importar com a visão conservadora dos mais antigos.

Onde encontrar luz em meio a toda essa escuridão?

No sexto século antes de Cristo, o profeta Isaías escreveu:

  Olhe! A escuridão cobre a terra, dessas trevas envolvem os povos, mas sobre você raia o Senhor, e sobre você se vê a sua glória. As nações virão à sua luz e os reis ao fulgor do sua alvorecer.    

Isaías 60:2-3

As mesmas trevas que vemos sobre nosso país também existiam nos tempos do profeta. As pessoas haviam se esquecido de Deus, adoravam ídolos, viviam em imoralidades, quebravam as leis de Deus.

  A terra seca-se e murcha, o mundo definha e murcha, definham os nobres da terra. A terra está contaminada pelos seus habitantes, porque desobedeceram às leis, violaram os decretos e quebraram a aliança eterna.    

Isaías 24:4-5

Mas em meio a todas essas trevas, ainda havia esperança. Em uma profecia sobre a era vindoura da Igreja, Isaías declarou que sobre o povo de Deus brilharia a Sua luz! Jesus veio e se apresentou como a luz desse mundo:

 Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida.    

João 8:12

 

  Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo".    

João 9:5

Após a Sua volta ao céu, a Igreja edificada por Cristo seria o refletor de Sua gloriosa perfeição e amor para esse mundo, um canal pelo qual a verdade de Deus deveria chegar a todas as nações da Terra e transformá-las com os princípios do reino.

Pelo poder do Espírito Santo presente em nossas vidas e com a iluminação da Palavra de Deus, agindo como uma bússola para nos indicar o caminho, o Senhor nos chama e nos capacita a vivermos vidas que gerem frutos que rendam glórias a Deus:

  "Vocês são a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte. E, também, ninguém acende uma candeia e a coloca debaixo de uma vasilha. Pelo contrário, coloca-a no lugar apropriado, e assim ilumina a todos os que estão na casa. Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus".    

Mateus 5:14-16

A dissipação do “apagão” desse mundo começa por nossas vidas. Temos colocado a vontade de Deus no centro de tudo? Temos renunciado ao nosso eu e buscado a fidelidade em todas as áreas? Oremos para que sejamos luz em meio às densas trevas!

Artigos Relacionados

A revelação da Palavra, quarta-feira
Éfeso foi a cidade em que Paulo fi cou por mais tempo e acabou por se tornar um centro de evangelização. .   Para que o Deus...
A revelação da Palavra,
  HAVENDO Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos...
A revelação da Palavra, terça-feira
João, nessa primeira carta, combate um falso ensinamento que negava que Jesus Cristo havia Se encarnado (I Jo 4:2-3). .  O QUE era desde o...
A revelação da Palavra, segunda-feira
  Porque eis aqui o que forma os montes, e cria o vento, e declara ao homem qual seja o seu pensamento, o que faz da manhã trevas, e pisa...