Caminhando Jesus e os seus discípulos, chegaram a um povoado, onde certa mulher chamada Marta o recebeu em sua casa. Maria, sua irmã, ficou sentada aos pés do Senhor, ouvindo-lhe a palavra. Marta, porém, estava ocupada com muito serviço. E, aproximando-se dele, perguntou: "Senhor, não te importas que minha irmã tenha me deixado sozinha com o serviço? Dize-lhe que me ajude! " Respondeu o Senhor: "Marta! Marta! Você está preocupada e inquieta com muitas coisas; todavia apenas uma é necessária. Maria escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada".    

Lucas 10:38-42

O relato bíblico de Lucas 10 trata a respeito de um episódio de uma família muito querida pelo Senhor Jesus. Marta, Maria e Lázaro eram três irmãos com os quais podemos aprender grandes lições por meio de suas diferentes personalidades. Quando lemos esta passagem, automaticamente elegemos uma vilã para a história e, na verdade, o correto é fazermos uma análise do perfil de ambas as irmãs, examinando todo o contexto da época. E, é isso que convido você leitor a fazermos agora.

Perfil de Marta e Maria

Marta, dona de casa dedicada, pessoa que gosta de servir e oferecer o melhor para as pessoas (no caso, seus convidados), mulher de atitude, agitada, trabalhadora, irmã mais velha, que sempre toma a frente nas questões familiares. Maria, irmã mais nova, que sempre se apoiava, mulher calma, serena, carinhosa, sem pressa, interessada em aprender.

Duas irmãs que se amam e que amam ao Senhor, irmãs do grande amigo de Jesus: Lázaro, que neste episódio, recebem o Mestre em sua casa. Conforme o verso 38, a aldeia de Betânia era o caminho de passagem para Jesus e seus discípulos. E eles, pararam na casa de Marta.

Considerando as circunstâncias inesperadas dessa visita, Marta desde que os recebera, começa a lidar com os afazeres domésticos a fim de atendê-los bem. Afinal, receber no mínimo 13 homens em casa, sem avisar, não foi nada fácil, se levarmos em consideração as condições precárias da época, sem água encanada, aliás, sem água em casa (era preciso buscar no poço), sem geladeira para armazenar carne e outros alimentos (para se ter em maiores quantidades), sem fogão a gás, micro-ondas e etc. Tudo ficava mais difícil.

Em contrapartida Maria, que demonstra em seu perfil, calma e serenidade, se encontra assentada aos pés do Mestre, ouvindo seus ensinamentos. Não devemos considerar que o trabalho de Marta fosse menos importante, pois era, de fato, necessário servir os convidados. Servir é sempre um gesto nobre e Marta o fazia com excelência.

É preciso ter em mente que tanto Maria quanto Marta eram igualmente amadas e importantes. Uma não era mais amada ou melhor que a outra. Mas Marta, ao ver sua irmã em posição inclinada aos pés de Jesus, com uma única frase proferida em direção ao Mestre, denota um coração amargurado: “Não te importas? ”. Quantas vezes nós nos aproximamos de Jesus com o nosso “Não te importas? ”

“Não te importas com o meu desemprego?”, “não te importas com a minha enfermidade? ”, “não te importas com meus dramas familiares? ”. Porque servimos, porque frequentamos a igreja, porque dizimamos e ofertamos, porque oramos, lemos as Escrituras Sagradas, porque as vezes fazemos obras sociais, entre outras coisas, consideramos ter crédito com o Senhor ao ponto de fazer-lhe imposições. Mas a verdade nua e crua é que Deus não nos deve nada!

A postura de Marta e Maria

Diante da cobrança de Marta o Senhor Jesus lhe repreende com amor, observemos no verso 41 a serenidade de Jesus ao falar com ela. Ele a define naquele momento como ansiosa e fatigada com muitas coisas e, ainda, lhe explica que só uma coisa é necessária. Jesus diz a ela que Maria havia escolhido a melhor parte, a qual não lhe seria tirada.

É preciso enfatizar que na Obra do Senhor, as “Martas” são necessárias, pois imagine por exemplo um evento acontecendo na igreja sem ninguém para organizar. O espiritual acontece porque esse flui do Senhor, com a ação do Espírito Santo, mas sem todos os detalhes da preparação, a parte social, não funcionará. Mas também devemos ser cautelosos, em nosso viver diário, para não focarmos apenas naquilo que tem feito Marta, ao desempenhar uma função tão importante para o reino, a ponto de deixar o prioritário de lado, aquilo que é essencial para o crescimento espiritual, considerado por Jesus como a “melhor parte”.

Enfim, considerando a postura de ambas, Marta tem uma postura de cobrança, apontando para o Mestre, enquanto a postura de Maria demonstra rendição e entrega. A irmã de Marta só aparece 3 vezes nas Sagradas Escrituras. E nas 3 aparições ela está quedada aos pés de Jesus. A primeira ela aparece sentada aos pés do Senhor Jesus para aprender (Lucas 10), depois ela está aos pés do Senhor para chorar a perda de seu amado irmão Lázaro (João 11) e, por fim, ela aparece aos pés de Jesus para agradecer (João 12). Nessa ocasião, Maria, prostrada em gratidão pela ressurreição de seu irmão, quebra um vaso de alabastro com cerca de uma libra, aproximadamente 450 ml de um perfume de Nardo puro (verso 3), tal perfume era valiosíssimo, avaliado pelo próprio texto bíblico (verso 5) por 300 denários. Diz-se desse valor devido sua raridade, pois o nardo era uma planta rara, originária e cultivada nas Cordilheiras do Himalaia, esse perfume era comprado grama a grama e acumulado ao longo dos anos pelas virgens para o dia de suas núpcias.

É notável a gratidão de Maria quando consideramos o valor de seu presente para o Mestre. Maria denota, pelos encontros que teve com o Mestre, um coração rendido, quebrantado e prostrado. Maria e Marta eram amadas do Senhor, Marta eficiente e ativa nos trabalhos e Maria que é relembrada por escolher a melhor parte.

A partir da história das irmãs de Lázaro, é possível identificarmos as boas qualidades em ambas. Mas, é possível enfatizarmos o risco de, ao se mostrar eficiente na obra, acharmo-nos no direito de ocupar uma postura de cobrança, como aconteceu com Marta. Portanto, é preciso manter-se aos pés de Jesus como Maria, colocando-nos na condição de servo, lembrando sempre a quem pertence a honra e o louvor. Assim, conseguiremos permanecer com o coração de Maria, mesmo que enfrentamos as circunstâncias de Marta.

Artigos Relacionados

O nascimento de Jesus O nascimento de Jesus
E aconteceu que, estando eles ali, se cumpriram os dias em que ela havia de dar à luz. E aconteceu que, estando eles ali, se cumpriram os...
Tempo com Deus Tempo com Deus
Respondeu o Senhor: “Marta! Marta! Você está preocupada e inquieta com muitas coisas; todavia apenas uma é necessária. Maria escolheu a boa...