E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; E as ensinarás a teus filhos, e delas falarás sentado em tua casa e andando pelo caminho, ao deitar-te e ao levantar-te.

Deuteronômio 6:6-7

O papel da igreja

Desenvolver um ministério com crianças para que haja crescimento espiritual, que abençoe, que evangelize, que ensine, que discipule, que pastoreie com compromisso e envolvimento. Quando há excelência no trabalho estamos preparando os melhores e mais preciosos agentes do Reino: as Crianças!

As crianças precisam ter participação real e efetiva na família, na igreja e na sociedade.

O papel dos pais

Já diz um grande educador desta geração:

“Educar é semear com sabedoria e colher com paciência.”Augusto Cury

Ele ainda aconselha:

  • dar o seu próprio ser
  • nutrir a personalidade
  • ensinar a pensar
  • preparar para os fracassos
  • dialogar como amigos
  • contar histórias
  • nunca desistir

Demonstrem o amor que sentem por seus filhos por meio do toque, do beijo, do abraço, da conversa e do tempo de qualidade que passam com eles. É um investimento que dará frutos durante toda a vida deles.

As crianças aprendem muito mais pelo que veem do que pelo que ouvem. Sejam ótimos exemplo para elas.

Um dos maiores tesouros que Deus confia a qualquer homem ou mulher é um filho. Ninguém pode substituir um dos pais na vida da criança. O que você está fazendo para ajudar seu filho a conhecer Deus e Sua Palavra?

RELACIONE A PALAVRA DE DEUS ÀS ATIVIDADES DIÁRIAS DE SUA FAMÍLIA

Se os pais crentes estiverem atentos, verão que as oportunidades de ensinar as verdades de Deus aos filhos na vida diária são inúmeras. Em Deuteronômio, Deus ordena aos pais que incluam a Sua Palavra diariamente em seus pensamentos, palavras de vida, desde a manhã até à noite. Algumas sugestões:

  • Tente cantar hinos ou corinhos enquanto lava os pratos.
  • Converse sobre as coisas do Senhor enquanto leva as crianças para casa ao saírem da igreja ou da escola.
  • Admire as maravilhas da criação de Deus e louve ao Senhor com seus filhos, quando estiver em um passeio
  • Deixe que seus filhos vejam sua fé em Deus por meio de sua reação aos acontecimentos diários: um amassado no para-choque, uma crise financeira, uma promoção no emprego ou mesmo uma doença grave.

Lembre-se: quando responde às diversas perguntas que as crianças fazem durante o dia, quando conversa com elas sobre os acontecimentos diários, quando mostra como devem se comportar em casa, na escola, ou nas brincadeiras – você está lhes ensinando padrões de pensamento, conversa e ação. Ore para que o seu ensino esteja sempre de acordo com a Palavra de Deus.

Sendo assim, desenvolver um ministério com crianças não se restringe à visão do líder e da igreja; os pais são os primeiros ministros nesse chamado de Deus. É engano pensar que as crianças são a igreja de amanhã. Elas são a igreja de hoje. Se não vivermos essa verdade, não haverá igreja amanhã. Vamos ver o que dizem as Escrituras no texto de Juízes 2:7-11:

Os perseguidores partiram atrás deles pelo caminho que vai para o lugar de passagem do Jordão. E logo que saíram, a porta foi trancada. Antes dos espiões se deitarem, Raabe subiu ao terraço e lhes disse: "Sei que o Senhor lhes deu esta terra. Vocês nos causaram um medo terrível, e todos os habitantes desta terra estão apavorados por causa de vocês. Pois temos ouvido como o Senhor secou as águas do mar Vermelho perante vocês quando saíram do Egito, e o que vocês fizeram a leste do Jordão com Seom e Ogue, os dois reis amorreus que aniquilaram. Quando soubemos disso, o povo desanimou-se completamente, e por causa de vocês todos perderam a coragem, pois o Senhor, o seu Deus, é Deus em cima nos céus e embaixo na terra.

Josué 2:7-11

Josué foi o homem escolhido por Deus para suceder a Moisés na liderança do povo hebreu. Revelou-se um servo destemido, ousado, obediente ao Senhor e cheio do Espírito de sabedoria (Deuteronômio 34:9). Deixou uma influência poderosa em Israel. Entretanto, após sua morte e dos demais líderes, encontramos uma geração que não conhecia nem a Deus nem às suas obras.

O desconhecimento do povo terá sido falta de Josué? O final do versículo 10 responde a pergunta: a nova geração não conhecia “O Senhor e o que ele havia feito por Israel”. Faltou o envolvimento dos pais daquela geração. Eles desobedeceram a ordem de Deus: Vamos conferir em Deuteronômio 6:1-2 e Salmos 78:5-7

Esta é a lei, isto é, os decretos e as ordenanças, que o Senhor, o seu Deus ordenou que eu lhes ensinasse, para que vocês os cumpram na terra para a qual estão indo para dela tomar posse. Desse modo vocês, seus filhos e seus netos temerão ao Senhor, o seu Deus, e obedecerão a todos os seus decretos e mandamentos, que eu lhes ordeno, todos os dias da sua vida, para que tenham vida longa.

Deuteronômio 6:1-2

Ele decretou estatutos para Jacó, e em Israel estabeleceu a lei, e ordenou aos nossos antepassados que a ensinassem aos seus filhos, de modo que a geração seguinte a conhecesse, e também os filhos que ainda nasceriam, e eles, por sua vez, contassem aos seus próprios filhos. Então eles porão a confiança em Deus; não esquecerão os seus feitos e obedecerão aos seus mandamentos.

Salmos 78:5-7

Trata-se de uma circunstância ao mesmo tempo muito séria e triste, mas não muito diferente da que vivemos hoje. Esperamos que a igreja, o pastor, os líderes e professores assumam a responsabilidade que Deus delegou a nós, pais. Não podemos nos tornar uma geração de pais “Obstinados e rebeldes, de coração desleal para com Deus" (v. 8), como se comportou o povo de Israel. Ao contrário, sejamos pais tementes e obedientes a Deus, sacerdotes do Senhor em nossos lares, para que nossos filhos sejam a igreja de Cristo Jesus hoje e também amanhã.

Hoje, especialmente, precisamos de uma parceria entre líderes, igreja e pais que vise a estimular o crescimento espiritual de nossas crianças. Essa parceria começa no lar, com os pais, pois a ordenança dada por Deus em Salmos 78 foi aos pais, não aos professores do ministério infantil. Quando pai e mãe delegam a vida espiritual de seus filhos à igreja, estão pecando diante de Deus; esse é o pecado por omissão, negligência e desobediência a uma ordem de Deus.

A desatenção dos pais quanto à vida espiritual dos filhos é muito perigosa, pois vem abrindo brechas à ação de Satanás, que encontra livre acesso à mente e ao coração das crianças. Que temos feito, como pais, para evitar as investidas do Diabo?

A nossa responsabilidade é mais urgente que nunca. Jesus está voltando. O tempo precisa ser remido e nossos filhos, ensinados pelo Senhor (Isaías 54:13). Então pais, não devemos confundir religiosidade com vida cristã autêntica. É preciso evangelizar os filhos, explicando-lhes o plano de salvação e ensinando-lhes quem é Jesus, para que eles tenham oportunidade de um encontro real com seu Salvador.

Não devemos nos limitar a levar os filhos à igreja. Eles conhecem bem o caminho que os leva ao templo, mas será que conhecem o único caminho que os levará à vida eterna?

Ensinar a criança no caminho em que deve andar é muito mais que ensinar a orar na hora das refeições. É muito mais que proibir de assistir a um determinado programa de televisão. É muito mais que ler a Bíblia de vez em quando; que a matricular num colégio cristão; que a levar todo sábado ou domingo na igreja. É muito mais.

Ensinar a criança no caminho em que deve andar é viver a vida de Cristo a cada momento da vida. É exalar o bom perfume de Cristo no lar para que os filhos sintam o amor de Jesus através de nós, pais e mães. É ensinar a criança a amar a Jesus de todo seu coração e sua alma, como nós o amamos. É ensiná-la a ter comunhão íntima com Jesus, como nós temos com ele. É ensiná-la a ter desejo de orar, de falar com Deus, de ter fome de Palavra e alimentá-la diariamente, até que ela possa fazê-lo sozinha.

PLANEJE PERÍODOS DE ENSINO DA BÍBLIA PARA A FAMÍLIA

Além da instrução informal ao longo do dia, não deixe de separar um tempo definido para o estudo da Palavra de Deus. Se o pai estiver ausente, a mãe pode liderar a família num devocional (Provérbios 1:8). Aqui estão vários pontos essenciais para a adoração familiar:

Escolha um horário apropriado para todos

Quando os filhos forem pequenos, o melhor horário para reunir a família é, no geral, à noite, antes deles irem dormir. A medida que os filhos crescem, eles têm vários compromissos à noite e a melhor hora seria durante ou depois do café da manhã. Qualquer que seja a hora que você escolher, estabeleça regularmente o devocional familiar e peça a Deus que ajude você a mantê-lo.

O estudo deve ser adequado à idade dos membros da família

Para crianças com menos de quatro anos, passe alguns minutos do dia lendo um versículo bíblico ou um pequeno trecho da Escritura, orando e talvez cantando um cântico. À medida que elas forem crescendo, você pode usar uma passagem mais longa e incluir uma ou duas atividades.

Encoraje seus filhos a participar

Adoração não significa o pai pregar um sermão para os filhos durante vinte minutos. A adoração deve ser um tempo apreciado por toda a família. Lembre-se de que as crianças gostam de participar e elas aprendem mais quando fazem isso.

Cante hinos e corinhos

Se a sua família gosta de cantar, você pode incluir um corinho ou dois. As crianças pequenas poderiam dramatizar um corinho como “Um certo pastorzinho”, ou uma história bíblica, por exemplo, a do Bom Samaritano. Algumas crianças gostam de reger os hinos enquanto a família canta.

Use a Bíblia, escolhendo passagens que as crianças possam entender com facilidade

Existem vários livros de histórias bíblicas e guias devocionais que você pode usar, se quiser. Todavia, esses materiais devem ser apenas complementos. Nada pode substituir a Palavra de Deus. As crianças devem aprender a ouvir o que Deus disse, e não simplesmente o que outros escreveram sobre Ele. Tão logo seus filhos tenham idade suficiente para ler, encoraje-os a começar a ler a Palavra de Deus na adoração familiar. Uma criança pode procurar vários versículos bíblicos e lê-lo para os outros, ou todos podem ler os versículos da Bíblia, um de cada vez. Use esses períodos em família para que seus filhos se familiarizem cada vez mais com as Escrituras.

Prepare seus filhos para enfrentar as dificuldades

As crianças recebem muitas informações erradas e enfrentam várias influências perversas. Suas experiências diárias com os amigos e os professores acabam criando perguntas e podem também produzir dúvidas. Lembre-se de que o mundo procura lhes dar uma visão de vida diferente daquela do cristianismo bíblico. As crianças podem ouvir ataques contra a Palavra de Deus. Podem aprender que a evolução é um fato. Podem ver cristãos fiéis sendo ridicularizados. É possível que estejam sendo expostos a músicas sensuais ou sendo tentados com drogas. Podem conhecer crianças envolvidas em pornografia ou no ocultismo.

Tome real interesse pelas atividades de seus filhos. Sonde a situação fazendo perguntas amáveis. Depois, preste atenção nas respostas deles. Quando perceber problemas, ajude seus filhos a compreender as questões envolvidas. Use o período de adoração em família para examinarem junto o que a Bíblia diz em resposta a esses problemas. Mas, tome cuidado para não ceder à tentação de fazer preleções.

Aprenda e recapitule versículos bíblicos

Ao ajudar seus filhos a memorizarem as Escrituras, você está lhes dando um tesouro muito maior do que a mais polpuda conta bancária. A Palavra de Deus em seus corações pode protegê-los do pecado, guiá-los nas decisões, renovar suas mentes e dar-lhes as palavras certas ao testemunharem para os amigos.

Enquanto a família repete em conjunto os versículos e passagens importantes da Bíblia, vocês podem estreitar os laços familiares e edificar a fé que já possuem. Memorizar exige tempo e disciplina, mas tenha ânimo. Os versículos que aprenderem juntos permanecerão para sempre com seus filhos.

Compartilhem pedidos de oração e orem juntos

Com a família, vocês podem orar pelo pastor, missionários, parentes, amigos e líderes do país, entre outros. Planeje começar um caderno de oração da família, e peça a um dos filhos mais velhos que registre os pedidos e respostas à oração.

Evite orações floridas, recitadas. Suas orações devem ser simples e sinceras. Ajude seus filhos a aprenderem a falar com Deus com o coração. Use também o tempo de adoração da família como uma ocasião em que as crianças aprendem a orar em voz alta diante dos outros.

Varie o seu tempo de adoração

As histórias da vida real são poderosas. Tente compartilhar notícias sobre missionários ou ler um trecho da biografia de um cristão verdadeiro. Você pode, ocasionalmente, achar proveitoso contar como Deus tem trabalhado na sua vida pessoal, e encorajar seus filhos a fazerem o mesmo.

Não se alongue muito

Muitos períodos de adoração familiares podem tornar-se tediosos para as crianças, e difíceis de manter por serem muito compridos. Embora cada família seja diferente, dez a quinze minutos podem ser uma boa média para o tempo de adoração.

Seja sensível com as crianças pequenas, que não conseguem se concentrar muito tempo, e com adolescentes que estudam durante horas. Você não pode incluir todas as partes sugeridas em cada reunião familiar de adoração. A leitura da Bíblia e oração são essenciais. Acrescente outras partes de acordo com o tempo disponível e com as necessidades particulares de sua família.

Enfim, ensinar a criança no caminho em que deve andar é discipular, é ser exemplo pelo olhar, pelo silêncio, pelo sorriso, pela própria vida.

Em Marcos 16:15 Jesus nos ordena:

"Vão pelo mundo todo e preguem o evangelho a todas as pessoas.

Marcos 16:15

Pais e mães estão incluídos nessa ordenança. Temos nosso ministério como pais, e ele começa no lar, afinal como ganhar almas em todo o mundo e perder a dos próprios filhos?

Pais não outorguem à igreja, aos professores da escola bíblica, ao pastor ou a quem quer que seja a tarefa de evangelizar seus filhos. Ela é sua!

Nosso compromisso como pais também não se encerra na evangelização: “[...] vão e façam discípulos [...] ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei” (Mateus 28:19-20 grifo da autora. Salmos 78:1-8; Provérbios 22:6). Uma vez salva, a criança deve crescer espiritualmente, conhecer a Deus e sua Palavra, ter um relacionamento pessoal e verdadeiro com Cristo.

Nossos primeiros discípulos devem ser nossos filhos. Como tem sido seu discipulado? Você tem feito sua parte ou tem deixado essa responsabilidade a cargo dos professores do ministério infantil de sua igreja?

Se vocês estiverem dispostos a obedecer, comerão os melhores frutos desta terra (Isaías 1:19). Deus é fiel. Como pais temos sido fiéis nessa área?

Que possamos abrir a mente, humilhar-nos na presença de Deus para que ele use nossa vida como exemplo vivo de seu amor. Que tenhamos o caráter de Jesus, para que nossos filhos sejam crianças cheias do Espírito Santo de Deus, jovens segundo o coração de Deus, homens e mulheres que sejam servos verdadeiros do Senhor, geração bendita de Deus. Aleluia!

Referências

Guerra, Alexandra. Infância: o melhor tempo para semear. Belo Horizonte: Betânia, 2006.

Cury, Augusto, Pais brilhantes, professores fascinantes. Rio de Janeiro: Sextante, 2008.

Guimarães, Claudia. Pastoreando as crianças desta geração. 2ª edição. São Paulo: Editora Vida, 2007

Artigos Relacionados

Diminua o ritmo e frutifique mais Diminua o ritmo e frutifique mais
Texto base: João 15:1-16 Não tenho tempo! Esta é a expressão mais ouvida em nossos dias. Parece que este século é marcado pela falta de tempo....
Frutos Incontáveis - Frutos de Amor Frutos Incontáveis - Frutos de Amor
"Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que, estando em mim, não dá fruto, ele corta; e todo que dá fruto ele poda,...
O poder do evangelho, quinta-feira
Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da...
Seja a mudança que deseja ver em sua casa Seja a mudança que deseja ver em sua casa
Se, porém, não lhes agrada servir ao Senhor, escolham hoje a quem irão servir, se aos deuses que os seus antepassados serviram além do...