Artigos

Fico observando as crianças da atualidade terem tantos heróis para admirarem, todos apresentados pela mídia, por todas as vias e de maneira maçante. No meu tempo de criança eu só tinha um, ele não usava máscara, nem capa, não tinha identidade secreta, nem codinome, mas ele era capaz de fazer coisas incríveis. Eu ainda bem pequeno me lembro da sua super força ao me dar um abraço apertado. Ele também tinha super velocidade, por mais que eu corresse, ele sempre era capaz de me alcançar e me pegar no colo. O poder desse herói que mais me encantava era, por mais triste que eu estivesse, ele possuía um dom de me fazer sorrir, quando nada funcionava até cócegas ele usava para fazer brotar um sorriso em meu rosto.

“Nenhum sucesso no mundo justifica o fracasso no lar.”

 Quando acaba a jornada de trabalho, quando se chega de viagem, quando termina o período diário na instituição de ensino, não existe lugar melhor para voltar do que a nossa casa. A nossa casa é lugar onde habita a nossa família e só se constrói uma família feliz, e realizada, a partir de um casamento feliz.

Muitos casais cristãos estão vivendo hoje fora daquilo que Deus idealizou. Brigas constantes, desrespeito mútuo e distância entre o casal, são vistos em muitos lares.

E, além da infelicidade que isto produz em seus corações, ainda há a questão do mal testemunho dado. Penso que este é um assunto que merece nossa atenção, pois o princípio de viver em unidade é algo que não apenas produzirá maior realização emocional no relacionamento, como também liberará sobre o casal as bênçãos de Deus.

familia

O casamento é o palco onde se desenrola os grandes dramas da vida. O casamento é o sonho de uns e o pesadelo de outros. É lugar de vida para uns e também ante-sala da morte para outros. É na família que celebramos as nossas vitórias e é também nela que curtimos a nossa dor mais amarga.

A maioria dos historiadores registra o começo do movimento de escolas nas igrejas iniciado por Robert Baikes de Gloucester, Inglaterra, em 1780. Mas as escolas Batistas do Sétimo Dia o precederam em décadas. Em 1740, Ludwig Hocker, Batista Alemão do Sétimo Dia, começou uma escola sabatina em Ephrata [Nota: distrito na Pensilvânia, EUA]. Em 1761, o reverendo Jonathan Dunham, da Igreja Batista do Sétimo Dia de Piscataway, escreveu um catecismo intitulado "A brief instruction in the principles of Christian religion" [Breve introdução aos princípios da religião Cristã], utilizado por adultos e crianças. Em 1836, a Conferência Geral designou um comitê "para compilar um livro de perguntas de tamanho conveniente, abarcando os fatos, doutrinas e deveres proeminentes contidos no Novo Testamento para uso das escolas sabatinas e aulas de estudo bíblico ligadas a nós".

Êxodo 23.12 afirma:

 Em seis dias façam seus trabalhos, mas no sétimo não trabalhem, para que o seu boi e o seu jumento possam descansar, e o seu escravo e o estrangeiro renovem as forças.” Tanto o homem como os animais são considerados, e precisam renovar suas forças depois de seus trabalhos.    

Êxodo 23:12

O homem como parte da criação tem responsabilidade de obedecer às ordenanças embutidas na estrutura da criação. Três ordenanças, inerentes nas disposições criacionais de Deus, merecem atenção particular. São elas: o Sábado, o casamento e o trabalho. Cada uma destas três ordenanças da criação permanece como princípio inviolável, inerente à estrutura do mundo como Deus o tem ordenado.

Uma campanha de Valorização do Sábado

Versículos para reflexão:

Gênesis 2:2-3Êxodo 20:8-11; Deuteronômio 5:12-15; Neemias 9:14; Neemias 13:15-22; Isaías 58:13-14; Mateus 12:10-13;  Marcos 2:27-28; João 14:21 João 14:23-24; Atos dos Apóstolos 13:42-44; Atos dos Apóstolos 16:13; Atos dos Apóstolos 18; 1 João 2:3-5; Apocalipse 14:12

“Cremos que o sábado sagrado da Bíblia, o sétimo dia da semana, é tempo sagrado, um dom de Deus para todas as pessoas, instituído na Criação, confirmado nos Dez Mandamentos, reafirmado no ensino e exemplo de Jesus e dos apóstolos. Acreditamos que o repouso do sábado sagrado é uma experiência da presença eterna de Deus com Seu povo. Assim, em resposta amorosa à graça de Deus, acreditamos que o sábado sagrado deve ser fielmente observado como um dia de descanso, adoração e celebração”.

Declaração de Fé Batista do Sétimo Dia